sexta-feira, 13 de julho de 2018

DIA DE SEXTA-FEIRA:



Para a concretização de um desejo:
Deus é onisciente e onipotente. Como filha de Deus, dEle herdei onisciência e onipotência e tudo consigo fazer convenientemente no momento mais oportuno. Por isso, meu desejo sempre se concretiza. Deus me dá, no momento adequado, tudo de que preciso para concretizar meu desejo. Deus, muito obrigada.

13 de julho

Em uma pequena cidade da Itália chamada Montichiari e no vilarejo chamado Fontanelle da mesma cidade, no ano de 1946, Nossa Senhora apareceu para uma enfermeira chamada Pierina Gilli, nascida no dia 03 de agosto de 1911 (e faleceu no dia 12 de janeiro de 1991).
   Em 1944, Santa Maria Crucifixa Di Rosa, fundadora das Servas da Caridade, passou a aparecer para Pierina.
   A primeira etapa das aparições de Nossa Senhora, foi na cidade de Montichiari no dia 23 para o dia 24 de novembro de 1946 e terminaram em 08 de dezembro de 1947.
   Pierina permaneceu dezenove anos junto às irmãs do Lírio, de Bréscia, acolhida por caridade. Neste período sofreu a paixão de Nosso Senhor.
   A segunda etapa das aparições, ainda foi em Bréscia, junto as Irmãs do Lírio, em 05 de abril de 1960.
   A terceira etapa das aparições foi no vilarejo de Fontanelle no dia 14 de abril de 1966 e terminaram praticamente com a sua morte em janeiro de 1991.
   Na primeira aparição, Nossa Senhora trazia cravada no peito enormes espadas. Juntamente com a Virgem Santíssima, apareceu Santa Maria Crucifixa que explicou para Pierina o significado das três espadas:

  • a 1 simboliza a ruína da vocação sacerdotal e religiosa;a
  • a 2a simboliza a vida pecaminosa que muitos sacerdotes levam;
  • a 3a simboliza a traição de Judas e o ódio contra a Igreja e dos sacerdotes que se tornam indignos de exercer seu ministério.
    Enquanto Santa Maria Crucifixa falava, a linda Senhora aproximou – se de mim, diz Pierina, então pude enxergar duas espessas lágrimas que corriam de seus olhos e percebi a sua doce voz que dizia:
                            “Oração, sacrifício e penitencia”.
   Na aparição seguinte dia 13 de julho de 1947, Nossa Senhora aparece com três lindíssimas rosas no lugar das espadas, de cor branca, vermelha e amarela dourada, que significam :
 Rosa branca indica o espírito de oração;
  • Rosa vermelha indica o espírito de sacrifício e de abnegação;
  • Rosa amarela dourada indica o espírito de penitencia.
    Em seguida, tomando a palavra com um tom de voz de autoridade, que nos transmita uma ordem recebida de Deus, disse:
“Nosso Senhor envia – me para levar uma nova devoção Mariana em todos os institutos e congregações religiosas, masculinas e femininas, também os sacerdotes seculares. Prometo a todos os institutos ou congregações que me honrarem que serão por mim protegidos, terão uma maior florescência de devoções e menos vocações traídas, menos pessoas que ofendem ao Senhor como pecado mortal e grande santidade entre os ministros de Deus”.
Oração a Nossa Senhora Rosa Mística
  Rosa Mística, Virgem Imaculada, Mãe da Graça, para honra de Vosso Divino Filho, nos ajoelhamos diante de Vós implorando a misericórdia de Deus: não por nossos méritos mas pelo amor de Vosso Coração Maternal, nós Vos suplicamos que nos concedais proteção e graça com a certeza de que nos haveis de atender. Ave Maria…
  Rosa Mística, Mãe de Jesus, Rainha do Santo Rosário e Mãe da Igreja, Corpo Místico de Jesus Cristo, nós Vos pedimos que concedais ao mundo, dilacerado pela discórdia, a unidade e a Paz e todas aquelas graças que podem mudar o coração de tantos de teus filhos. Ave Maria…
  Rosa Mística, Rainha dos Apóstolos, fazei florescer à volta dos altares Eucarísticos, muitas vocações sacerdotais, religiosos e religiosas, que difundam, com a santidade de sua vida e com o zelo apostólico pelas almas, o Reino de Vosso Filho Jesus por todo o mundo. E derramai sobre nós também a abundância de Vossas Graças celestiais! Ave Maria… Salve Rainha…
  Maria, Rosa Mística, Mãe da Igreja, Rogai por nós!

quarta-feira, 4 de julho de 2018

Em julho vai dar tudo certo!!



        A visão ainda está para cumprir-se no tempo determinado... se tardar, espera-o, porque certamente virá, não tardará. (Hc 2.3.)
        Num livrinho muito interessante, um personagem é levado à casa do tesouro de Deus. Ali, entre as muitas maravilhas que lhe foram reveladas, estava o Departamento das Bênçãos em Reserva, onde Deus guardava certas coisas, que lhe haviam sido pedidas em oração e que aguardavam seu tempo próprio.
      Algumas pessoas levam algum tempo para aprender que demora não significa negação. Há muitos segredos de amor e sabedoria encerrados no Departamento das Bênçãos em Reserva! Os homens prefeririam colher os frutos da misericórdia quando ainda estão verdes, ao passo que Deus quer que esperem até que amadureçam. "Por isso o Senhor ESPERA, para ter misericórdia de vós" (Is 30.18).
       Ele está vigiando nossos momentos difíceis, e não permitirá uma só provação a mais do que a que podemos suportar; primeiro Ele deixará que se queimem as escórias, depois virá gloriosamente em nosso auxílio. Não O entristeça, duvidando do Seu amor. Não, erga a cabeça e comece a louvá-lO agora mesmo, pelo livramento que está a caminho. Você será largamente recompensado pela demora que testou sua fé.

domingo, 1 de julho de 2018

ESFOLIANTE CASEIRO:


1 col (sopa) fubá
1 col (sopa) flocos de aveia, 1 col (sopa) leite de soja
3/4 xíc (chá) de água
Misturar tudo e reserve. Passe no rosto c/ movimentos suaves, por uns 30 seg.

Redação do Momento Espírita


Ele era um garoto triste. Procurava estudar muito. Na hora do recreio ficava afastado dos colegas, como se estivesse procurando alguma coisa.
Todos os outros meninos zombavam dele, por causa das suas meias vermelhas.
Um dia, o cercaram e lhe perguntaram por que ele só usava meias vermelhas. Ele falou, com simplicidade: No ano passado, quando fiz aniversário, minha mãe me levou ao circo.
Colocou em mim essas meias vermelhas. Eu reclamei. Comecei a chorar. Disse que todo mundo iria rir de mim, por causa das meias vermelhas.
Mas ela disse que tinha um motivo muito forte para me colocar as meias vermelhas. Disse que se eu me perdesse, bastaria ela olhar para o chão e quando visse um menino de meias vermelhas, saberia que o filho era dela.
Ora, disseram os garotos, mas você não está num circo. Por que não tira essas meias vermelhas e as joga fora?
O menino das meias vermelhas olhou para os próprios pés, talvez para disfarçar o olhar lacrimoso e explicou: É que a minha mãe abandonou a nossa casa e foi embora. Por isso, eu continuo usando essas meias vermelhas. Quando ela passar por mim, em qualquer lugar em que eu esteja, ela vai me encontrar e me levará com ela.
*   *   *
Muitas almas existem, na Terra, solitárias e tristes, chorando um amor que se foi. Colocam meias vermelhas, na expectativa de que alguém as identifique, em meio à multidão, e as leve para a intimidade do próprio coração.
São crianças, cujos pais as deixaram, um dia, em braços alheios, enquanto eles mesmos se lançaram à procura de tesouros, nem sempre reais.
Lesadas em sua afetividade, vivem cada dia à espera do retorno dos amores, ou de alguém que lhes chegue e as aconchegue.
Têm sede de carinho e fome de afeto. Trazem o olhar triste de quem se encontra sozinho e anseia por ternura.
São idosos recolhidos a lares e asilos, às dezenas. Ficam sentados em suas cadeiras, tomando sol, as pernas estendidas, aguardando que alguém identifique as meias vermelhas.
Aguardam gestos de carinho, atenções pequenas. Marcam no calendário, para não se perderem, a data da próxima visita, do aniversário, da festividade especial.
Aguardam...
São homens e mulheres que se levantam todos os dias, saem de casa, andam pelas ruas, sempre à espera de que alguém que partiu, retorne.
Que o filho que tomou o rumo do mundo e não mais escreveu, nem deu notícia alguma, volte ao lar.
São namorados, noivos, esposos que viram o outro sair de casa, um dia, e esperam o retorno.
Almas solitárias. Lesadas na afetividade. Carentes.
*   *   *
O amor, sem dúvida, é lei da vida. Ninguém no mundo pode medir a resistência de um coração quando abandonado por outro.
E nem pode aquilatar da qualidade das reações que virão daqueles que emurchecem aos poucos, na dor da afeição incompreendida.
Todos devemos respeito uns aos outros. Somos responsáveis pelos que cativamos ou nos confiam seus corações.
Se alguém estiver usando meias vermelhas, por nossa causa, pensemos se este não é o momento de recompor o que se encontra destroçado, trabalhando a terra do nosso coração.
Pensemos nisso!
Redação do Momento Espírita, com base em crônica de 
Carlos Heitor Cony, da agenda 
Renascer 2004 e no cap. 31, 
do livro 
Momentos de ouro, por Espíritos diversos, psicografia
de Francisco Cândido Xavier, ed. GEEM.
Em 20.8.2015.

domingo, 24 de junho de 2018

O Anis Estrelado

A árvore do anis-estrelado (Illicium Verum) faz lembrar o loureiro, pelo seu belo porte, e a magnólia pelas flores decorativas que ostenta. Toda a planta exala um agradável aroma semelhante ao anis, ainda que mais intenso. O anis-estrelado (illicium verum não deve ser confundido com o anis (pimpinella anisum L.) apesar de conter o mesmo princípio ativo (anetol) tendo propriedades semelhantes àquela planta. É digestivo como o anis, porém é mais concentrado.

Sucesso e prosperidade, proteção viral. É flor de apolo. Traz bom humor, frescor e afasta maus espíritos. Faça uma tintura com esta flor e álcool de cereais e deixe sempre a mão. Quando o clima pesar asperge-se por todo o ambiente e sobre você.

quinta-feira, 21 de junho de 2018

Dica de hoje

               E logo correu que ele estava em casa. (Mc 2.1.)
            Os pólipos que constroem os recifes de coral trabalham no fundo d'água, sem imaginar que estão edificando os alicerces de uma nova ilha, sobre a qual, mais tarde, viverão plantas e animais, e onde nascerão filhos de Deus, que serão preparados para a eterna glória como co-herdeiros de Cristo.
            Amado leitor, se o seu lugar nas fileiras de Deus é um lugar escondido e isolado, não murmure, nem se queixe. Se Ele o colocou ali, não procure sair da Sua vontade; pois, sem os pólipos, os recifes de coral não seriam construídos. Deus precisa de homens que estejam dispostos a ser pólipos na Sua obra e trabalhem na obscuridade, longe da vista dos homens; sustentados, porém, pelo Espírito Santo e plenamente visíveis aos olhos do céu.
            O dia virá em que Jesus dará a recompensa, e Ele não comete enganos; embora alguns talvez se admirem de como você terá chegado a merecer tal recompensa, se nunca haviam ouvido nada a seu respeito. — Selecionado
Quero estar à mão,
Onde estou.
Onde a Sua mão
Designou.
Quieto, executando
O que for mandando.
Sempre a Seu dispor
Onde estou.
            Não precisamos depender das reuniões concorridas, nem de experiências gloriosas de euforia espiritual, nem da comunhão edificante dos irmãos. Podemos ir para a obscura Emaús; ou para a temível Colossos; ou ainda para a distante Macedônia, no campo missionário. Podemos ir confiantes, sabendo que, onde quer que Ele nos coloque, no curso da vida, as fronteiras podem ser conquistadas e a vitória ganha, porque Ele já o ordenou. — Northcote Deck