quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Chico Xavier



Hoje a luz do presente 
Dia como este dia
Em toda a vida
Terás este somente
Recorda isso
E atende todo o bem que desejes fazer
Prestação de serviço em socorro de alguém
Atenção no dever
Felicidade e paz
Esperança e carinho
Que aspires a plantar em lances do caminho
Alegria, favor,
Dádivas que pretenda ofertar
Relações que precisa recompor
Gentilezas no lar
Trabalho, o mais singelo e aquele que mais custe revisão, reajuste, corrigenda, perdão, provas de estima e consideração
Apoio espiritual em simples frases nas tarefas que abraces e abençoes
Que nada disso atrases, nem deixes que fazer para depois
Por que o tempo não volta
Contando sempre aquilo que se fez
E dia igual a hoje, só terás uma vez
"Não vos inquieteis pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã a si mesmo trará seu cuidado. Basta a cada dia a sua própria aflição" (Mateus, 6:34)

Feliz Dia da Secretária


quarta-feira, 23 de setembro de 2015

23 - Dia Nacional do sorvete




Sorvete romeu e julieta

1 xíc. (chá) de açúcar
1 xíc. de água
3 claras; 1 copo de requeijão
1 lata creme de leite
folhas de hortelã para decorar
Calda: 4 goiabas vermelhas, s/ cascas, picadas
1/2 xíc. de açúcar
1 xíc. de água
Sorvete: Leve ao fogo uma panela com açúcar e 1 xíc. de água até obter o ponto de calda (uns 10 min.) Bater as claras em neve e despeje a calda lentamente sobre as claras. Desligue a batedeira e junta ás claras o creme de leite e requeijão, misturando até obter um creme bem homogêneo. Coloque na travessa coberta com filme plástico e leve ao freezer por 8h.
Calda: Junte as goiabas ao açúcar e 1 xíc. de água e leve ao fogo baixo por 20 min. ou até que as goiabas estejam desmanchando. Retire; bata no liquidificador e volte ao fogo para engrossar a calda. Sirva morna sobre o sorvete e enfeite com as folhas de hortelã.
Dicas: Para saber se a calda está em ponto de fio, coloque um pouco de calda em um prato e deixa esfriando. Depois, com a ponta dos dedos, aperte e puxe. Entre os dedos deve ficar um fio que não se desmancha.


segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Mabon Blessings




Ostara 21 a 23 de Setembro (Equinócio de Primavera)
















Welcome Spring!

Awake, thou wintry earth —
Fling off thy sadness!
Fair vernal flowers, laugh forth
Your ancient gladness!

— Thomas Blackburn
The forces of masculine and feminine energy, called by some yin andyang, are also in balance at this time.
As Winter departs, and Spring arrives for us in the north, the world begins anew.

Oração à Santa Efigênia e dia das árvores

Dia da árvore



Oração a Santa Ifigênia (para pedir a graça de comprar a casa própria) Faça uma novena: nove dias seguidos da mesma oração. Alcançando a graça de adquirir sua casa, divulgue a devoção a Santa Ifigênia. A Vós, Pai bondoso, com fervor Vos suplicamos por esta casa, pelos que nela vivem e por tudo o que ela contém. Abençoai e enriquecei-a com vossos bens. Concedei-lhe prodigamente o orvalho do céu e a fertilidade da terra, os bens espirituais e as coisas necessárias para a vida. Que vossa bênção permaneça sobre ela e que o vosso Espírito Santo penetre o coração e a vida de seus moradores, fazendo-os arder em amor por vós e pelo próximo. Que todas as pessoas que nela entrarem tenham o acolhimento da bondade, do amor e da paz. Pela intercessão de Santa Ifigênia, cuja causa de encontrar um teto Vós protegestes, atendei nossas preces e fazei de nós o vosso lar. (FAZER O PEDIDO) Por Cristo Nosso Senhor, Amém. Disse Jesus:" Quem me ama será amado por meu Pai. Eu e meu Pai viremos e faremos nele a nossa morada". (João 14.21.23) Pai Nosso Ave-Maria Glória ao Pai Data: 21 de setembro Nota: Repare na imagem que Santa Ifigênia tem uma casinha nas mãos, o convento, que ela tanto lutou para construir. Por isso é ela a padroeira das causas de um teto. 

Proteja seu amiguinho... Eles merecem muito!!



Dizem que para se gostar de gatos, animal que é independente por natureza, é preciso ter a alma livre, sem a pretensão tipicamente humana de querer dominar a tudo e a todos.
Se o cão reflete a aparência física de seu dono, como muitos dizem, o gato seria o espelho da mente do ser humano, da personalidade e até das atitudes do seu dono.
Para Arthur da Távola, o gato é um monge portátil à disposição de quem o saiba perceber. Talvez esteja aí a chave de seu mistério: percepção. O gato não é um animal óbvio, mas cheio de sutilezas. E quem é “pego” por aquele seu gostoso ronronar está fadado a ficar enfeitiçado por este bichano pelo resto da vida.

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Baile Gaúcho - Seleção de Vanera

Dia do Perdão - 18 de setembro




O Signo de Virgem

O homem de virgem:
         Uma coisa que deve ficar bem claro quanto a personalidade do homem de virgem é que ele simplesmente ADORA criticar e ODEIA, no fundo da alma, qualquer tipo de critica!
         Outra coisa que ele adora fazer é trabalhar. Esta gente faz com que o capricórnio pareça um vagabundo diante de sua fissura por trabalho. É claro que existem virginianos que podem não gostar muito de trabalho, mas o típico homem deste signo, adora. Ele sempre parece estar preocupado com alguma coisa que deixou por fazer. Se, para ele trabalhar vinte horas é pouco, vai sempre querer que todos façam o mesmo! O virginino tem uma capacidade impar em descobrir os defeitos dos outros(o que ele acha que é defeito) e sempre fica incomodado com estes defeito.
        Embora se mostre extremamente capaz e frio, ele é devorado por dentro pela ansiedade e o pessimismo.
            Também não é do tipo que sonha, que acha que as coisas caem do céu, nem espera que as coisas sejam conquistadas sem muito suor! Por isso é difícil que se apaixone à primeira vista.

Aspectos sentimentais do signo Virgem
Acesse o conteúdo completo em: http://www.stum.com.br/conteudo/c.asp?id=00238&onde=1
Aspectos sentimentais do signo Virgem
Acesse o conteúdo completo em: http://www.stum.com.br/conteudo/c.asp?id=00238&onde=1
Aspectos sentimentais do signo Virgem
Acesse o conteúdo completo em: http://www.stum.com.br/conteudo/c.asp?id=00238&onde=1

Os Erês



    Setembro é o mês das crianças na umbanda. Homenageados em 27 de setembro, “Dia de Cosme e Damião“, os Erês aguardam suas oferendas com entusiasmo para trazer sorte e proteção para sua vida.
   Data propícia a vários trabalhos espirituais como:
·                    prosperidade financeira;
·                    melhorias no emprego;
·                    arrumar emprego;
·                    passar no vestibular;
·                    passar em concursos públicos;
·                    patuás diversos para pedidos de causas impossíveis;
·                    trabalhos de cura espiritual, principalmente para crianças;
·                    trabalhos espirituais para engravidar e ter um bom parto;
·                    amarrações de amor.

O que são os Erês?

Os respeitados porta-vozes dos orixás, capazes de travessuras inimagináveis, abençoam os dias do mês de setembro e trazem cores nas velas, nos enfeites, e nos aconselham a colorir também nossas vidas!
Como toda criança, encarnada ou incorporada, não se governa, tem sempre que se ter olho vivo com o Erê. Os Erês são espíritos que optaram por continuar sua caminhada espiritual através da prática de caridade, através dos médiuns nos terreiros de umbanda.
Além de trazer a mensagem do orixá o Erê é muito bom nos cuidados com a nossa saúde e ninguém desfaz o que eles fazem, só eles mesmos. Também nos ensina sem percebermos, como é importante vigiar, ter consciência para oferecer nossos cuidados e atenção a quem precise.
Quem esteve na presença de um Erê sabe que não se pode desrespeitá-lo, tanto em sua função como entidade com em sua natureza infantil e brincalhona.

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Winchester



“How To Speak Winchester”.
LYRICS:
VERSE 1
We gotta talk, Dean;
don’t walk away.
You’ve only a few months left,
and there are things I gotta say.
I know you’re scared, Dean,
and that’s okay.
But pretending that you’re fine
won’t keep the hell hounds at bay.
So you gotta drop the act, just drop this show.
You gotta teach me every little thing you know.
Cause I gotta fight this war alone once you go.
And I need for you to do this, cause deep down you know.
CHORUS:
It’s cause we’re brothers.
You’re Dean, I’m Sam.
It’s cause I rely on you these days
to show me who I am.
It’s cause I’ve got your back,
and you’ve got mine.
It’s cause I know you’re lying
when you tell me that you’re fine.
‘Cause you’re there for me the way Dad never was.
So if you wanna know why,
It’s cause, just cause.
VERSE 2
We’re not just vessels for them to use.
Whatever we’ve got between us is what they want to abuse.
But we are stronger, yes we can choose.
And I need you here with me because it’s you I can’t lose.
So let’s prove to them we’re stronger than we’ve shown.
Cause I’d rather be together than alone.
I believe in you now that we’re all grown.
Cause at the end of the day, I think I’ve always know.
CHORUS
It’s cause we’re brothers.
You’re Sam, I’m Dean.
It’s cause when I call you a bitch you know just what I mean.
It’s cause we’re family, deeper than bone.
It’s cause wherever you are is where I’m most at home.
Cause you look up to me the way no one else does.
So if you ask me why,
It’s cause, just cause.
VERSE 3
So you just dropped in out of the sky.
I don’t care if you were desperate, that’s no reason to lie.
You’re a frickin’ child, Cas.
Do you know why?
I was always there to help you all you had to do was try.
So you gotta put an end to all this demon play.
‘Cause we can fix it, man, we’ll find a way.
And I know I should have told you every day.
And it might be too late, but still I have to say.
CHORUS
It’s cause we’re brothers.
I’m Dean, you’re Cas.
It’s my responsibility to kick you in the ass.
It’s cause you always come when I call.
It’s cause I’d catch you if you’re ever to fall.
So whatever this deal with Crowley was,
I’m asking you to stop now,
Cause, just cause.
It’s cause we’re brothers, until the end.
No matter what’s up ahead, know you were always my friend.
It’s cause you always come back to me.
I may not believe much in God, but I believe in family.
And you might say it doesn’t matter, but it does.
Cause when I wanna say I love you,
I say cause, just cause.

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Um dia nos reencontraremos...



         Quando os animais desencarnam, aqueles donos que cuidaram da melhor maneira daqueles, devem ficar tranquilos e certos de que o plano espiritual se encarregará da melhor forma. Jamais os animais, nem mesmo os menores, estarão desamparados.

         Sentir saudades daquele que foi nosso companheiro fiel... é natural, entristecer-se... é natural, chorar... é natural; pensar no quão importante e bom foi tê-lo ao nosso lado, enquanto isto foi possível, e saber que a vida continua, o laço afetivo permanece, o amor se eterniza... é espiritual e sábio. É muito mais do que a aceitação, é a confirmação do amor que une todos os seres vivos e permanece vivo dentro de cada um.

Dia de N. Sra. de Monte Serrat



Originado nos tempos medievais, no Velho Mundo, o culto a Nossa Senhora do Monte Serrat data da época colonial no Brasil e em Santos foi reforçado por diversos episódios considerados milagrosos, tanto que a santa foi escolhida como padroeira da cidade. As duas histórias principais são a da invasão dos piratas holandeses comandados por Spielbergen em 1615 e a do navio a vapor Araguaryem 1926.
(...) Em 1614, quando os holandeses invadiram a Ilha de São Vicente, as populações das vilas de Santos e São Vicente refugiaram-se no monte, rezando e pedindo proteção à Virgem. Quando os invasores aproximaram-se do alto do morro, uma avalanche de pedras matou muitos deles e colocou os demais em fuga. Nossa Senhora do Monte Serrate fizera seu primeiro grande milagre e, desde essa época, a população a considera padroeira de Santos.
Em 1954, quando se completava o centenário da definição do dogma da Imaculada Conceição, o Papa Pio XII decretou o Ano Santo Mariano. Houve festas em todo o mundo e, associando-se aos festejos, a Câmara Municipal de Santos oficializou o título de padroeira a Nossa Senhora do Monte Serrate. No ano seguinte, o Papa ratificou o ato, determinando a coroação canônica.
A Santa é também protetora dos navegantes e a ela se atribui outro grande milagre: livrou o barco nacional Araguary de naufrágio certo, em 1926. Quando os tripulantes já não conseguiam controlar a situação, resolveram ajoelhar-se em um dos conveses, rezar e evocar a Virgem, prometendo celebração de missa em ação de graças se o vapor conseguisse aportar em Santos. No instante seguinte a tempestade cessou e o mar entrou em calmaria.
Por essas e por outras, o Monte Serrate é um dos principais pontos de afluência de romeiros em todo o Brasil e centro de uma das grandes festas religiosas da Igreja Católica. A tradição se renova a cada ano: no dia 5 de setembro, a imagem de Nossa Senhora deixa sua capela e segue, em procissão, para a Catedral, onde é rezado um tríduo. No dia 8 de setembro, consagrado a ela, há missa solene, pela manhã, e à tarde, a imagem volta ao Monte Serrate. Antes de subir o morro, o cortejo pára em frente da Prefeitura, e o chefe do Executivo renova a consagração de Santos à Senhora do Monte. Feriado, a Cidade reza e festeja ao mesmo tempo.

setembro - Ano 1000



SETEMBRO
PAGÃOS E PANNAGE
                Havia alguns javalis selvagens nas florestas da Inglaterra no ano 1000, assim como uns poucos lobos sobreviventes, mas muito mais numerosas eram as manadas de porcos que vagueavam livres pelas matas. Os aldeões começavam a recolher os porcos quando setembro anunciava a aproximação do inverno.
                Depois de concluída a colheita, nos tempos medievais mais antigos, cada lavrador e chefe de família tinha de calcular a equação básica da sobrevivência através do inverno. Quanto tempo a despensa duraria, que animais pareciam ter a possibilidade de consumir mais forragem do que sua expectativa de vida podia justificar? Setembro era o mês em que os animais doentes e velhos eram convertidos em salames e pastelões. O porco era um fator crucial nesses cálculos. O outono era a época em que os porcos ficavam mais gordos. Podia-se aproveitar virtualmente todas as partes do porco medieval, o qual, vagueando solto e muitas vezes acasalando com seus primos selvagens, tinha uma nítida aparência de javali. O revestimento do estômago proporcionava a tripa.
                Os intestinos ofereciam a pele para salames, enquanto o sangue era o principal ingrediente para o black pudding, um salame escuro feito com sangue de porco e pedaços de toucinho. Pannage era o termo usado para a dieta natural dos porcos que se alimentavam sem depender de seus donos. O valor dos bosques medievais era muitas vezes expresso em termos de quantos porcos um determinado setor era capaz de sustentar. Os animais de criação eram bem menores no ano 1000 do que são hoje... e eram também menores do que haviam sido seis séculos antes. Escavações arqueológicas revelam que os ossos de vacas, porcas e ovelhas vão se tornando cada vez menores ao longo dos séculos.


                Voltam a ficar maiores com a introdução dos princípios de criação econômica no final da Idade Média. Os anglo-saxões amavam seus animais. Assim como podiam reconhecer os animais dos vizinhos, também costumavam ter um nome carinhoso para cada criatura em sua família ampliada. Teriam adorado os animais antropomórficos de Walt Disney. Seus poemas sentiam prazer em atribuir características humanas, como determinação e astúcia, aos membros do reino animal. Consideravam-nos companheiros de ocupação de um mundo em que os interesses humanos e animais se misturavam.
                Os filhos da Mãe Natureza eram todos seus irmãos e irmãs. Setembro era o mês em que o pomar (orchard em inglês) produzia a sua melhor colheita. A abadia de Ely era famosa por seus vinhedos, além de seus pomares e uma estufa em que cultivava diversas variedades de árvores frutíferas. Macieiras, pereiras, ameixeiras, figueiras, marmeleiros e amoreiras estavam incluídos na planta do jardim para um grande mosteiro projetado, embora nunca chegasse a ser construído, para os missionários irlandeses na margem do lago Constance, na Suíça.
                        A norma de São Bento para que os monges não consumissem carne foi interpretada pela maioria das comunidades como se referindo a animais de grande porte e quatro patas. Portanto, as aves eram consideradas fora da proibição, assim como os coelhos, que os normandos levaram para a Inglaterra depois de 1066. Mas a dieta monástica ainda tendia a ser não-carnívora, com um elevado conteúdo de laticínios e uma saudável proporção de nozes. Também cultivavam cebola, alho-poró, aipo, rabanete, cenoura, alho, cebolinha, pastinaca, repolho, salsa, endro, cerefólio, coentro, papoula e alface. Esses frutos e hortaliças eram quase que, com certeza, mais saborosos do que seus equivalentes modernos, mas também, como o gado do ano 1000, eram consideravelmente menores.
                Não havia espinafre. Este só apareceu nas hortas européias quando as sementes foram trazidas pelos Cruzados, no século XII. Brócolis, couve-flor, vagem e couve-de-bruxelas foram desenvolvidos em séculos posteriores, por gerações subseqüentes de horticultores. Também não havia batata e tomate. Embora os livros de receitas descrevam possets (bebida de leite quente, cerveja e vinho, para curar resfriados) e infusões de ervas, não existia nenhum dos estimulantes que ainda seriam importados, chá, café e chocolate. A maior falha dietética pelos padrões modernos era a ausência de qualquer tipo de açúcar. Registros venezianos descrevem um carregamento de cana-de-açúcar chegando a Veneza pela primeira vez em 996, provavelmente da Pérsia ou Egito,96 mas o açúcar não foi mais importado para a Europa até o final da Idade Média. Não dominou o paladar europeu, com sua atração por doces, até o desenvolvimento das plantações de cana no Caribe, no século XVII. Os esqueletos anglo-saxões são notáveis pela ausência de cáries dentária O mel era a principal fonte de doçura no ano 1000.
                Era tão precioso que quase virou uma moeda corrente na Inglaterra medieval. Era um dia de sorte quando um enxame de abelhas se instalava em seu telhado de colmo:
Há um enxame de abelhas lá fora,
Voe para cá, meu pequeno gado,
Em paz abençoada, sob a proteção de Deus,
Venha para o lar seguro e sólido.
                As abelhas não produziam apenas mel. Própolis, a resina avermelhada usada pelas abelhas trabalhadoras como material de construção, proporcionava um bálsamo curativo que era muito valorizado no tratamento de feridas. Por outro lado, uma porção de cera de abelha alcançava um preço ainda maior do que uma medida equivalente de mel.  "Pegue um pouco de terra", dizia outra receita para atrair um enxame de abelhas. "Salpique com a mão direita sob o pé direito e diga: Mantenho você sob meu pé; eu a encontrei!" Era um encantamento pagão, um precursor antigo e rival da oração criada pela Igreja.
                As palavras iniciais estabeleciam o direito do proprietário ao enxame, da mesma forma como o moderno jogador de rúgbi finca os pés na terra quando pega a bola e grita "Mark!" A etapa seguinte era lançar um punhado de grãos de areia ou cascalho sobre o enxame e gritar:
Fiquem, mulheres vitoriosas, afundem na terra!
Nunca voem livres para o bosque.
Seja interessada por meu bem
Como cada homem é por comida e seu lar.


                Os romanos também acreditavam que as abelhas estavam partindo para a guerra contra uma colméia rival quando enxameavam. Os anglo-saxões, no entanto, concluíram que a abelha principal em cada colônia era uma fêmea. Também compreenderam que, quando as abelhas enxameavam, era uma questão de proliferação e da
criação de outra colônia. Na ausência de mel, outra fonte de doçura era a polpa amassada das uvas que sobravam da produção de vinho. Era um mundo mais quente. Os meteorologistas descrevem essa época medieval quente como "Pequeno Ideal". Citam-na como a explicação para fenômenos como a explosão dos vikings pela Rússia, França, Islândia e o noroeste do Atlântico.
                Um manuscrito do século IX era dedicado exclusivamente ao trovão e o que podia significar: "Em maio, o trovão pressagia um ano de fome. (...) No mês de julho, o trovão significa colheitas abundantes e o gado perecendo. (...) Se troveja no domingo, isso é considerado um presságio de grande mortalidade de monges e freiras. (...) Da trovoada na quarta-feira, não resta a menor dúvida de que pressagia a morte de prostitutas ociosas e escandalosas."
                O leitor moderno não pode deixar de especular sobre o que passava pela mente do monge ou freira que lia essas predições e recordava, por exemplo, a última vez em que ouvira uma trovoada num domingo, mas não vira nenhum de seus colegas cair morto. Os augúrios exercem um eterno fascínio. Para os que os levam a sério, nunca parece importar se a realidade fria prova que estavam errados. No ano 1000, as pessoas concediam o benefício da dúvida aos aspectos intangíveis de sua vida. Os antigos deuses ainda espreitavam os sulcos abertos na Inglaterra anglo-saxônia. A palavra pagão vem de pagus, o latim para "o campo". Era entre os pags ou rústicos que a antiga magia ainda persistia. Quando o camponês saía para abrir os primeiros sulcos na terra, em janeiro ou fevereiro, costumava dizer uma prece, ao se ajoelhar para abrir um buraco raso na terra, onde punha o bolo que sua mulher assara:
Terra, Terra, Terra! Oh, Terra nossa mãe!
Aquele que tudo pode, Senhor Eterno, conceda A
estas terras um crescimento grande, Com o trigo
abundante e sempre forte.
                O bolo era feito do mesmo cereal que o camponês tencionava plantar agora. Beda relatou como fevereiro era popularmente conhecido como "o mês dos bolos", por causa dos bolos ou placentae "que nesse mês os ingleses ofereciam a seus deuses". Beda e os outros cronistas monásticos não se sentiam inclinados a celebrar a herança pagã da Inglaterra.
                Gregório sugeriu a Agostinho que os antigos templos pagãos da Inglaterra deviam ser convertidos em igrejas, "a fim de que as pessoas possam continuar a recorrer aos lugares com que estão mais acostumadas". Em conseqüência, existem hoje igrejas inglesas que datam da Idade do Bronze. Em vez de oferecerem sacrifícios à Mãe Terra, os anglo-saxões eram encorajados a dirigirem suas orações à Virgem Maria. Tendo aceitado o dia do sol (Sun-day) e o dia da lua (Moon-day), a igreja também tolerou o dia de Tiw (Tiw's-day), o dia de Woden (Woden's-day), o dia de Thor (Tbor's-day) e o dia de Frig (Frig's day). Assim os dias da semana ficaram sendo chamados em inglês, em homenagem aos antigos deuses nórdicos Tiw, o deus da guerra, Woden, o pai dos deuses e da casa real de Essex segundo Alfred, Thunor, o deus da trovoada, e Frig, a deusa do crescimento das coisas e da fertilidade. O dia de Saturno (Saturday) era outro resquício pagão... este dos romanos. O rei Aldwulf de East Anglia, um contemporâneo de Beda, recordou como vira em sua infância o templo criado por seu antecessor, rei Redwald, que queria se manter nas boas graças das duas religiões e mandou construir dois altares, lado a lado. Num altar, o rei partilhava o pão e o vinho, "o sagrado sacrifício de Cristo", enquanto no outro sacrificava ao estilo antigo.
                        Beda deixou bem claro que isso devia ser considerado uma tentativa ignóbil e ignorante de servir a dois senhores. Nova magia pela antiga era a linguagem da conversão. Bonifácio, claro e objetivo, deixou sua marca na Alemanha quando cortou um bosque de oliveiras sagradas, usando a madeira para construir uma nova igreja para Jesus. Os xamãs locais previram o desastre, mas nenhum raio se abateu sobre a igreja. Não demorou muito para que Bonifácio presidisse conversões em massa. A bela cruz de pedra de quatro metros e meio de altura em Gosforth, Cumbria, tem esculpida uma panóplia de deuses nórdicos, com o deus do mal Loki acorrentado por baixo de uma serpente venenosa, enquanto Woden repele um lobo, no meio de um grupo de dragões... e a figura de Cristo crucificado assoma no ápice da batalha, não tanto como o único deus, mas como o mais poderoso. Na batalha entre o paganismo e o Cristianismo, o Cristianismo acabara levando a melhor... e bem depressa. O desfile de conversões cristãs nos anos finais do século tem outro paralelo moderno: depois de décadas de conflito amargo e tenso entre duas ideologias poderosas, uma delas entrara em colapso à aproximação do milênio, deixando a outra no comando da situação de uma maneira incontestável, como há muito era pregado com fervor, mas que não parecia tão óbvia quando a batalha estava no auge.

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Livro: "O que é corpo de luz?"



Veja neste post aqui indicações retiradas do livro "O QUE É CORPO DE LUZ" sobre como formar uma rede de proteção.



Domingo
O “dia do sol”, homenageado em vários idiomas (como no inglês Sunday) inaugura a semana, irradiando brilho e calor, como o próprio astro. Essa energia de fogo inspira atitudes abertas, como receber em casa a família e os amigos, promover almoços e reuniões. Capriche nos detalhes, enfeite a mesa com flores e louças bonitas.

O sol coloca luz sobre as questões, ajudando a desfazer mal-entendidos e a esclarecer assuntos nebulosos, e torna o dia favorável à promoção da expansão e da prosperidade, em todos os sentidos. Os hindus consagravam o domingo a Surya, deus responsável por todas as manifestações da energia, e consideravam o domingo propício para qualquer tipo de ação, já que do sol surgiram os outros planetas, que regem todos os aspectos da vida humana.

Sinta a força dentro de você
Coragem, determinação e poder de decidir estão em alta. Pense no domingo não apenas como dia de descanso e lazer, mas como ponto de partida da semana que se inicia. Experimente programar sua agenda, e seus compromissos irão fluir melhor nos próximos dias. Esse é um bom momento para falar em público e expor suas ideias a outras pessoas.

Tire um tempo também para cuidar do corpo, tome um longo banho com sais ou óleos revigorantes, trate da pele e use suas melhores roupas, jóias e perfumes. Evite as conversas reservadas ou que exponham sua intimidade.

Segunda-feira
Depois do calor e da expansividade do domingo, a segunda-feira chega trazendo um tipo de energia mais pacificadora, convidando à interiorização. Caso esteja em casa ou em algum lugar calmo, tranquilo, medite por alguns minutos ou, pelo menos, volte o olhar um pouco para dentro de si mesmo. No trabalho, evite ações enérgicas e situações de confronto. Sinta suas forças sendo restauradas para enfrentar a semana de trabalho com mais equilíbrio.

Os indianos há 3 mil anos já acreditavam que a energia receptiva do dia da lua (somvar, em seu antigo idioma, o sânscrito) favorecia a resolução de dificuldades emocionais, conflitos familiares ou problemas ligados às origens e raízes pessoais, que são assuntos regidos pelo astro.

Cultive a feminilidade
As forças lunares favorecem o uso da energia psíquica e da intuição, além da compreensão das mensagens que nos chegam do inconsciente por meio dos sonhos, por exemplo. Como o satélite da Terra representa também a feminilidade e a maternidade, a segunda-feira é ideal para tratar desses temas. Ligue-se também a sua trajetória pessoal, reveja fotos e álbuns de família e homenageie seus antepassados.

Aproveite os momentos de recolhimento para fazer o planejamento da semana e agendar suas tarefas. Ao longo do dia, porém, evite se sobrecarregar de compromissos e frequentar lugares muito movimentados.

Terça-feira
O deus da guerra romano batizou a terça-feira em vários idiomas, como o espanhol (martes), o francês (mardi) e o hindu (mangalwar), que significam “dia de Marte”. A força e dinamismo da divindade encontra correspondência em Tyr, o mais corajoso dos deuses nórdicos, que emprestou seu nome para tuesday, em inglês.

A energia marciana, vigorosa e masculina, faz da terça-feira o período ideal para tomar atitudes concretas e resolver pendências. O planeta vermelho, que está em seu ponto mais próximo da Terra nos últimos 60 mil anos, nos empresta seu forte impulso como uma ajuda extra para concretizar projetos. Vá à luta e batalhe por seus interesses. Para os hindus, o regente da terça é Ganesha, deus com cabeça de elefante, que abre caminhos e remove obstáculos.

Movimente o corpo
Essa poderosa influência direcionada à ação nos estimula a movimentar o corpo e colocar a energia para fora. Corra, faça ginástica e esporte, de preferência ao ar livre. Como o planeta rege também a sexualidade, seu dia nos convida a desfrutar o prazer sem inibições.

Como a vibração de Marte tem uma conotação bélica, modere os excessos e tenha cuidado com a velocidade. Cultive o bom senso e a prudência e não se deixe dominar pelos impulsos, que podem levar a atitudes destrutivas. Se puder, adie as atividades que exijam mais paciência e diplomacia.

Quarta-feira
Comunicação é a palavra-chave para o dia regido por Mercúrio, deus com asas nos pés, que era o mensageiro divino para os romanos. Tanto o idioma espanhol quanto o francês o homenageiam com os nomes miércoles e mercredi, respectivamente.

O planeta mais quente e próximo do sol confere ao quotidiano seu ritmo acelerado, estimulando as ações rápidas e objetivas. Mercúrio facilita todas as formas de expressão, ao mesmo tempo em que torna nossa mente mais ágil e inspirada. Aproveite essa vibração para mentalizar tudo o que deseja de positivo para sua vida e traçar estratégias em direção a seus planos e metas. Dedique-se também a atividades intelectuais, como ler, escrever, estudar e fazer pesquisas, que se tornam mais produtivas e prazerosas.

Converse e estimule a mente
Esse é um bom dia também para sair, encontrar amigos, trocar ideias, conhecer gente nova, enviar e-mails e bater papo na internet, veículo perfeito para a rapidez mercuriana.

Como na astrologia o planeta rege os cuidados com o corpo, ligados ao signo de Virgem, você pode aproveitar o dia para começar uma dieta de emagrecimento ou desintoxicação ou optar por uma alimentação mais saudável.

Quinta-feira
Os romanos consagravam esse dia a Júpiter, seu deus supremo e todo-poderoso. Os nomes jueves, em espanhol, e jeudi, em francês, conservam essa ligação com a divindade. No panteão nórdico, Thor, deus do trovão, que empunhava um martelo mágico que o tornava invencível nas batalhas, batizou a quinta-feira em inglês thursday.

Na mitologia, Júpiter dava a palavra final em todas as questões, quer envolvessem deuses ou homens. Sabedoria, justiça e força são alguns dos atributos divinos que podemos invocar nesse dia. Na astrologia, o planeta é considerado uma das influências mais benéficas e rege o sector ligado a crenças e valores, a estudos e filosofia. Aproveite para iniciar um curso, ler ou pesquisar assuntos que possam expandir seus horizontes e elevar sua consciência, principalmente os ligados a religião e espiritualidade.

Atraia a prosperidade
Use essa energia para fazer pedidos de prosperidade e abundância, que são domínios jupterianos. Ele também abre caminhos para os ganhos financeiros e o sucesso profissional. Como Júpiter decidia sobre o perdão ou o castigo, seu dia favorece as questões ligadas à justiça, como processos, que tendem a se encaminhar e obter resultados favoráveis.

Sexta-feira
As vibrações harmoniosas da deusa Vênus tornam esse dia da semana particularmente inspirado para todos os assuntos relacionados ao amor, à beleza, aos impulsos artísticos e ao prazer dos sentidos. A deusa, que na mitologia romana incitava Cupido a flechar os corações de deuses e mortais, emprestou seu nome para a sexta-feira em francês (vendredi) e em espanhol (viernes). Em inglês, friday foi consagrado a Freya, deusa da sensualidade dos nórdicos.

Nesse dia, traga beleza e prazer para sua rotina.. Cuide do visual, use suas melhores roupas, perfume-se e enfeite sua casa com flores, para render homenagem à deusa mais vaidosa. O dia é ótimo também para visitar museus, exposições e galerias de arte, que nos colocam em sintonia com a fina sensibilidade venusiana.

Abra-se para o amor
Todos os assuntos do coração estão mais do que favorecidos. Procure expressar seu afeto não só com o parceiro, mas com todos a quem ama. Para os hindus, que chamam a sexta-feira de shukrawar, ele propicia todas as formas de pacto amoroso, inclusive a reconciliação.

Nesse dia marcado pela leveza, se puder adie os assuntos mais sérios, que exijam compenetração e profundidade. Fuja de discussões, pessoas agressivas e ambientes conturbados.

Sábado
Saturno era o último planeta do sistema solar conhecido pelos povos antigos e, para eles, assinalava os limites do Universo. Na astrologia, foi associado à responsabilidade, à consciência e à noção das próprias limitações, atributos do deus romano que batizou esse dia na língua inglesa (saturday).

Da mesma forma que assinala o fim de mais um ciclo “o semanal”, o sábado é o dia propício para encarar e tentar superar desafios e restrições que impedem o crescimento e a expansão. Aproveite para fazer um balanço do que realizou e do que falta por fazer, reveja o passado e visualize o futuro. Termine tarefas, honre seus compromissos e procure eliminar o que já não serve mais em sua vida. Finalmente, descanse e restaure as forças para começar a nova semana que começa no domingo. Tente não dar início a novos projetos: prefira fazê-lo na terça-feira ou na quinta-feira, se possível.

Avalie perdas e ganhos
Você não precisa sacrificar o espírito de diversão próprio do sábado para essa reflexão. Apenas reserve algum tempo, por menor que seja, para esse exame interno. Aproveite também o contato com a natureza para refletir sobre os ciclos da vida, que são regidos por Saturno.


Você sabia que o manjericão é muito poderoso para a realização de encantos amorosos? Pois é, além disso auxilia na leitura dos oráculos, estimulando a intuição e a clarividência.
Protege os lares de influência negativa e atrai a sorte.
Funciona como um termômetro, pois qualquer vibração negativa, se possuir um vasinho em sua casa ele irá murchar ou amarelar.
Experimente usar manjericão em banhos na culinária e até mesmo na aromaterapia se sua intenção é seduzir alguém.

hj é o dia do florista - Parabéns!

um beijo, amigos